2 de mai de 2014

Observação...



☆... Fito o horizonte vasto.
Lastreio o coração
Com cristais de candura
E diamantes de luz,
E confesso:
Roubo cores do crepúsculo
Para tornar ainda mais colorida
A aurora do pensamento.

Meu coração é, por vezes, calado.
Silêncio roubado no vácuo mais que profundo
Das indiferenças do mundo.

O meu verdadeiro eu, assim como o seu,
Também é invisível
E pouco vejo em mim
Daquilo que desejo.

Não aprendi a lidar direito
Com as dores do peito.
Talvez eu queira, de fato, sofrer.

Conheço quem adoce a própria vida
Com o sal de suas lágrimas vertidas.
Percebo, então,
Que choro feliz.

Tenho a dádiva de ver rasgar-me o solo da alma
No aprofundamento de minha própria raiz. ...☆




☆☆... Nara Rúbia Ribeiro ...☆☆








.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por seu comentário e volte sempre!